Alexandre do Sindicato propõe audiência pública para discutir implantação do Uber em Campina Grande

Alexandre do Sindicato propõe audiência pública para discutir implantação do Uber em Campina Grande

Alexandre do Sindicato propõe audiência pública para discutir implantação do Uber em Campina Grande

A Câmara Municipal de Campina Grande aprovou, recentemente, um requerimento que solicita uma audiência pública para discutir a implantação do Uber no município de Campina Grande. Utilizado como um aplicativo de celular, em diversos estados brasileiros, o Uber possibilita conectar o usuário a um motorista de carros particulares.

Embora o serviço esteja em vigor em várias cidades, existe uma polêmica em torno do assunto, uma vez que o serviço tem funcionado supostamente de forma irregular. Para conseguir se tornar um prestador de serviço, é preciso se inscrever em um site e passar por uma checagem de antecedentes criminais, possuir carteira de habilitação que permita trabalhar como motorista profissional e ser dono do próprio carro. Paralelamente, para ser um taxista é necessário o atendimento dos critérios mencionados anteriormente, acrescido do alvará retirado na prefeitura municipal.

“Existe uma lei de nossa autoria em que proíbe o uso de carros particulares com tal finalidade, embora saibamos os reais custos-benefícios para a população. A sugestão é que os taxistas possam se adequar a essa nova realidade, que não deve ser desconsiderada. Dessa forma, avaliando os prós e contras, entendemos que uma audiência pública é necessária para ouvirmos os posicionamentos de ambos os lados. Uma das possibilidades é, exatamente, a do poder público dialogar com as categorias exigindo o cumprimento igualitário de determinadas regras,”, explicou o vereador Alexandre.

Ao percorrer as principais ruas de Campina Grande, o vereador alegou ouvir a insatisfação de muitos taxistas com relação a implantação do Uber no município. “Segundo os taxistas, existe uma concorrência desleal, pois esses motoristas particulares não arcam com muitas despesas para o devido transporte de passageiros. Eu, enquanto representante do Legislativo, entendo que a profissão precisa ser regulamentada, por isso, sugiro que tenhamos um bom debate. Concluo, enfatizando que não é meu objetivo prejudicar nenhuma das categorias”, declarou ele.

***Conteúdo de responsabilidade da assessoria




Fale Conosco

Para que possamos lhe atender melhor por favor entre com as informações abaixo. Obrigado!

Perguntas, dúvidas, críticas ou sugestões? Eu adoraria ajudá-lo!

ENTER para enviar