Câmara discute sobre criação do Fundo Municipal de Ciência e Tecnologia

Câmara discute sobre criação do Fundo Municipal de Ciência e Tecnologia

Com o objetivo de discutir com a população e órgãos responsáveis, além receber sugestões para elaboração de uma lei que vai beneficiar a área tecnológica do município, a Câmara Municipal de Campina Grande realizou na manhã dessa quarta-feira (23) uma audiência pública, proposta pelo vereador Lucas Ribeiro, onde foi debatida a criação do Fundo Municipal de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento da cidade.

O parlamentar Lucas Ribeiro destacou a necessidade de incentivar e demandar mais investimentos para projetos tecnológicos que beneficiem o município, articulando com empresas e universidades para executar essas ações. “Campina é uma cidade conhecida pelo o seu ímpeto em tecnologia, se destacando em cenário nacional. Há necessidade de políticas públicas voltadas para essa área e, em parceria com as instituições de ensino, investir em pesquisas e aplicá-las”, justificou.

A proposta de lei surge como um incetivo para ampliar os recursos da área, em conformidade com a Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação e com o Artigo 10, inciso VI, da Lei Orgânica do Município, pensando no futuro do serviço público da cidade e na progressão das condições que contribuem para o bem estar dos campinenses. O projeto incentiva a construção de um conselho, com ajuda do conhecimento técnico tecnológico, para gerir os recursos e lançar editais ao público interessado.

Para o secretário municipal de Ciências e Tecnologia, Tovar Correia Lima, as parcerias são fundamentais para que o projeto dê certo. Ele também enfatizou que a secretaria já enviou vários pedidos ao Governo Federal em busca desses benefícios. “Vamos fazer o possível para que a lei seja cumprida, trazendo progressões de conhecimento, gerando emprego e renda. Queremos que Campina esteja avançada nesse setor”, afirmou.

De acordo com o pró-reitor de pesquisas da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), professor Cidoval Morais, as pesquisas desse meio focam na resolução de problemas públicos estruturais, como saúde e educação, trazendo potencial para o desenvolvimento econômico e social. “Esse projeto é um desejo antigo das instituições que fazem pesquisas, principalmente nesse momento de crise onde houveram tantos cortes na receita. Vamos fortalecer as experiências e as pesquisas para vencer os desafios”, disse. 

Presenças

Estiveram presentes na audiência representantes da universidade Estadual da Paraíba (UEPB), Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), UNIFACISA, Faculdade Maurício de Nassau, FIEP, Embrapa, Núcleo de Tecnologias Estratégicas em Saúde (NUTES), Fundação Parque Tecnológico da Paraíba, Hospital de Trauma, Instituto Nacional do Semiárido (INSA), Agência Municipal de Desenvolvimento (AMDE), Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Secretaria Municipal de Planejamento, Corpo de Bombeiros, Associação dos Jornalistas, Diocese de Campina Grande, vereadores da Casa de Félix Araújo, líderes comunitários e cidadãos campinenses.

Dirp./CMCG




Fale Conosco

Para que possamos lhe atender melhor por favor entre com as informações abaixo. Obrigado!

Perguntas, dúvidas, críticas ou sugestões? Eu adoraria ajudá-lo!

ENTER para enviar