Câmara solicita a CAGEPA informações sobre possível contaminação de Boqueirão

Câmara solicita a CAGEPA informações sobre possível contaminação de Boqueirão

Câmara solicita a CAGEPA informações sobre possível contaminação de Boqueirão

A Mesa Diretora da Câmara Municipal de Campina Grande, atendendo uma solicitação do vereador presidente Antonio Alves Pimentel Filho (PSD), esta encaminhando ao diretor presidente da CAGEPA (Companhia de Água e Esgotos da Paraíba), Marcus Vinícius Fernandes Neves, Pedido de Informações, requerendo ao referida órgão, esclarecimentos sobre a possível contaminação porcianobactérias.

Segundo o vereador Pimentel Filho, o referido Pedido de Informação, atende a uma preocupação da Casa de Félix Araújo, bem como, aos quase 1 (um) milhão de consumidores que residem em 19 municípios que são abastecidos pelo Açude Epitácio Pessoa (Boqueirão). “Queremos uma resposta precisa sobre a atual situação da qualidade da água do referido manancial, pois, recentemente um importante portal de comunicações de circulação estadual, divulgou que seus repórteres tiveram acesso com exclusividade a um documento oficial da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba CAGEPA, confirmando ao Comitê da Bacia Hidrográfica da Paraíba (CBP-PB), de que em Boqueirão a água já está imprestável ao consumo humano”.

De acordo com Pimentel Filho, após vários dias da veiculação desta grave informação, apontando a contaminação e a possível suspenção imediata dos serviços de distribuição de água, a Câmara Municipal de Campina Grande não poderia deixar de solicitar oficialmente um pronunciamento da CAGEPA, explicando a atual situação do manancial de Boqueirão, destacando e assegurando aos consumidores dos 19 municípios sua potabilidade ou não.

O vereador Pimentel Filho solicita do diretor presidente da CAGEPA, que encaminhe para a Câmara, quais são os níveis oficiais e atualizados de contaminação, devido à presença de cianobactérias e cianotoxinas nas águas do Açude Epitácio Pessoa (Boqueirão). O presidente do Legislativo campinense questionou também, qual a periodicidade que é realizada as análises químicas, físicas e biológicas do Açude, bem como, quais são as empresas que realizam estes exames, e caso exista, qual a previsão dos estudos para possível estagnação da qualidade do volume morto, até a chegada da transposição.

O parlamentar também alertou que, caso aconteça à contaminação, além dos pacientes renais que fazem hemodiálise, toda a população sofrerá as consequências, pois, quem tiver contato ou consumir a mesma, poderá ter problemas na pele, intestinais, renais, hepáticos, dentre outras. “Diante da total ausência de informações oficiais por parte da CAGEPA e do Governo do Estado, a Câmara torna pública a preocupação e solicita informações atualizadas sobre a situação da proliferação das cianobactérias, pois não queremos que aconteça em Campina e região, o que aconteceu na cidade de Caruaru/PE, onde em fevereiro de 1996, 126 pessoas foram intoxicadas quando faziam hemodiálise na famosa “Tragédia da Hemodiálise” onde 60 pacientes morreram e 47 pacientes tiveram hepatite tóxica”.

O parlamenta ainda lamentou que, mesmo diante da ameaça já conhecida pela CAGEPA e pelo Governo do Estado, sobre o aumento das cianobactérias na água de Boqueirão, nada até o momento foi feito para adequar a Estação de Tratamento (ETA) de Gravatá “Caso as toxinas aumentem a níveis insuportáveis, a CAGEPA terá que tratar a água de forma mais ampla, mas, a preço de hoje, por falta de investimentos para dotar a ETA de Gravatá de dispositivos de combate e eliminação das toxinas, a única opção até agora divulgada pelos técnicos da CAGEPA, é a interrupção definitiva do fornecimento de aguas, e isto Campina Grande e região não podem aceitar”, ressaltou Pimentel.

Dirp./CMCG




Fale Conosco

Para que possamos lhe atender melhor por favor entre com as informações abaixo. Obrigado!

Perguntas, dúvidas, críticas ou sugestões? Eu adoraria ajudá-lo!

ENTER para enviar