Dom Delson Pedreira da Cruz será cidadão honorário de Campina

dom_delsoDom Frei Manoel Delson Pedreira da Cruz receberá brevemente o Título de Cidadão de Campina Grande. A propositura apresentada na Câmara Municipal de Campina Grande é de autoria dos vereadores Nelson Gomes Filho e Antonio Pimentel Filho.

O projeto visa conceder Cidadania Campinense a Dom Frei Manoel Delson Pedreira da Cruz, Bispo de Campina Grande. Ele é o sétimo Bispo Diocesano de Campina Grande. Nasceu em 10 de julho de 1954, em Biritinga. Biritinga é um município do Estado da Bahia, localizado na Mesorregião do Nordeste Baiano e na Microrregião de Serrinha.

Dom Delson estudou Filosofia e o início da Teologia no Seminário São Francisco de Assis em Nova Veneza e concluiu os estudos teológicos no Instituto de Teologia da Universidade Católica de Salvador, na Bahia. É mestre em Ciência da Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Salesiana de Roma e graduado em Letras pela Universidade Católica de Salvador. Foi ordenado sacerdote no dia 5 de julho de 1980 na Arquidiocese de Feira de Santana e, na mesma arquidiocese, em 24 de setembro de 2006, recebeu sua ordenação episcopal. Foi acolhido na Diocese de Caicó no dia 8 de outubro daquele ano.

No dia 9 de maio de 2011 foi eleito durante a 49ª Assembléia do Episcopado Brasileiro em Aparecida entre os bispos dos estados de Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte, vice-presidente do Regional Nordeste dois da CNBB, mandato que terá o seu término em 2014.

No dia 8 de Agosto de 2012, sua santidade, o Papa Bento XVI, nomeou Dom Frei Manoel Delson Pedreira da Cruz, OFMCap como 7º Bispo Diocesano de Campina Grande, transferindo-o da Diocese de Caicó (RN). Dom Delson tomou posse em concelebração na Catedral Diocesana de Campina Grande no dia 29 de Setembro de 2012. A solenidade ocorreu na Catedral Diocesana de Nossa Senhora da Conceição com a presença de vários bispos e de todo o clero diocesano.

Atividades anteriores ao episcopado: (1981) Foi formador dos aspirantes, Vigário Paroquial e Vice Guardião em Feira de Santana; (1984) Formador do Pós-noviciado; Guardião e Vigário Provincial em Salvador; (1986-1992) Ministro Provincial; (1993) Diretor da Rádio Sociedade e Vice Pároco da Paróquia de Santo Antônio em Feira de Santana; (1995) Em Roma obteve o Mestrado em Comunicação Social, pela Pontifícia Universidade Salesiana; (1998 – 2001) Ministro Provincial de Salvador; (2002-2006) Em Roma exerceu o cargo de Definidor Geral para a América Latina junto à Cúria Geral dos Capuchinhos.

A Diocese de Campina Grande foi erigida a 14 de Maio de 1949, pelo Papa Pio XII, desmembrada da Arquidiocese da Paraíba, através de um documento Papal chamado Bula, com o título “Supremum Universi” do Papa Pio XII, desmembrada da Arquidiocese da Paraíba, pertencendo ao Regional Nordeste 2 da CNBB. Está entre as cinco Dioceses da Província Eclesiástica da Paraíba: A Arquidiocese da Paraíba com sede em João Pessoa – criada em 1892; a Diocese de Cajazeiras, criada em 1914; a Diocese de Patos, criada em 1959 e a Diocese de Guarabira criada em 1980.

O 1º Bispo da Diocese foi Dom Frei Anselmo Pietrulla OFM, vindo da Prelazia de Santarém (PA). Ele tomou posse no dia 13 de Novembro de 1949, um dia após a instalação da Diocese e ficou até 1955, quando foi transferido para a diocese de Tubarão (SC), onde faleceu como Bispo Emérito em 25 de Maio de 1992.

A 19 de maio de 1956, o Papa Pio XII nomeou para a Diocese de Campina Grande seu 2º Bispo, Dom Otávio Barbosa Aguiar, antes Bispo Auxiliar de São Luís (MA), tendo ele governado até ser transferido, em 8 de Julho de 1962, para a Diocese de Palmeira dos Índios (AL), onde governou até renunciar em 29 de Março de 1978, tornando-se Bispo Emérito e residindo em Maceió (AL) até o seu falecimento ocorrido em 8 de Dezembro de 2004.

O Papa João XXIII nomeou Dom Manuel Pereira da Costa, antes Bispo de Nazaré da Mata (PE), que tomou posse como 3º Bispo de Campina Grande a 30 de Setembro de 1962, ficando no pastoreio até 1981, quando renunciou por motivos de saúde. Primeiro Bispo Emérito de Campina Grande viveu os últimos anos de vida no Lar da Providência em João Pessoa (PB) após um longo período de enfermidade e faleceu no dia 26 de Julho de 2006, sendo sepultado no cemitério do Senhor da Boa Sentença – João Pessoa (PB).
O Papa João Paulo II, aos 12 de Setembro de 1981, nomeou Dom Luís Gonzaga Fernandes, antes Bispo Auxiliar de Vitória (ES), como 4º Bispo diocesano de Campina Grande o qual tomou posse a 17 de Outubro de 1981. No dia 29 de Agosto de 2001 o Papa João Paulo II aceitou a renúncia de Dom Luís Fernandes. Após passar dois anos enfermo Dom Luís Fernandes morreu em João Pessoa (PB) no dia 4 de Abril de 2003. Seu corpo foi sepultado à frente do altar de Santa Terezinha do Menino Jesus na Igreja Catedral de Nossa Senhora da Conceição em Campina Grande (PB).

Em 12 de Julho de 2000, João Paulo II, nomeou como Bispo Coadjutor de nossa Diocese, Dom Matias Patrício de Macêdo que assumiu sua missão em 22 de Setembro de 2000, transferindo-o da Diocese de Cajazeiras (PB). No dia 29 de Agosto de 2001 Dom Matias foi nomeado como 5º Bispo diocesano de Campina Grande e governou a Diocese até 26 de Novembro de 2003 quando foi promovido a Arcebispo e transferido para a Arquidiocese de Natal (RN).

No dia 16 de Fevereiro de 2005, o Papa João Paulo II, nomeou Dom Jaime Vieira Rocha como 6º Bispo Diocesano de Campina Grande, transferindo-o da Diocese de Caicó (RN). Dom Jaime passou a exercer o seu ministério episcopal à frente do nosso governo diocesano no dia 23 de Abril de 2005.

No dia 21 de Dezembro de 2011, o Papa Bento XVI, o nomeou como 6º Arcebispo Metropolitano de Natal (RN) transferindo-o da Diocese de Campina Grande, Estado da Paraíba, no Brasil.




Fale Conosco

Para que possamos lhe atender melhor por favor entre com as informações abaixo. Obrigado!

Perguntas, dúvidas, críticas ou sugestões? Eu adoraria ajudá-lo!

ENTER para enviar