Márcio diz que apesar das promessas de Ricardo, Galante e parte da Zona Rural não receberam água

Márcio diz que apesar das promessas de Ricardo, Galante e parte da Zona Rural não receberam água

O vice-presidente da Câmara Municipal de Campina Grande, Márcio Melo Rodrigues (PSDC), disse que foi estabelecido o fim do racionamento, mas não chegou água em áreas do Distrito de Galante, em localidades da zona rural e possivelmente em setores do Distrito de São José da Mata. O vereador Márcio torce para que Campina não seja mais uma vez penalizada com um novo racionamento de água, com consequências inimagináveis, pois Boqueirão está com pouco mais de oito por cento de sua capacidade, no volume morto.

Ele garante que a Câmara Municipal de Campina Grande vai continuar reivindicando melhorias para todo o Município e não aceita imposições por parte de quem quer que seja. “Estaremos vigilantes para denunciar imposições que podem penalizar seriamente mais de 500 mil pessoas. Vamos orar a Deus para que não aconteça o pior e torcer para que Campina e mais 18 Municípios não sejam mais uma vez penalizados com um novo racionamento de água por irresponsabilidade dos que se consideram deuses e acima da vontade soberana do povo”.

Ressalta que, os vereadores foram eleitos para defender os interesses do povo, lutar pelos direitos populares e ouvir a sociedade e isso é o que estão fazendo e assim continuarão.  Inclusive, ele lembra que a imprensa divulgou que o Ministério da Integração Nacional recomendou a continuidade do racionamento de água para o sistema que abastece Campina Grande. O secretário de Infraestrutura Hídrica do Ministério, Antônio de Pádua Andrade, disse que a segurança hídrica da região só será alcançada quando o açude Epitácio Pessoa atingir 97 milhões de metros cúbicos de água.

O vereador acusa o governador Ricardo Coutinho e o secretário de Recursos Hídricos, João Azevedo, “de politicagem ao anunciar intempestivamente o anúncio do fim do racionamento de água. Eles não estão preocupados com a saúde, com a educação do povo, não repassa os recursos devidos para a saúde de Campina Grande. Além disso, não tem a menor preocupação com o quadro de insegurança que Campina Grande se encontra, é uma irresponsabilidade total”, acentua.

Márcio acusa o Governo de não ter uma obra de relevância em Campina Grande. “Não lutou, não reivindicou em nenhum momento em prol da concretização da Transposição do Rio São Francisco para matar a sede de milhões de nordestinos. Não limpou devidamente o leito do Rio Paraíba, não colocou máquinas para fazer a limpeza e a dragagem de Boqueirão como deveria ter feito (o povo foi quem teve que queimar o mato para que a água pudesse percorrer o leito do rio assoreado) e eles agora anunciam o fim do racionamento para o dia 26 deste mês”.

O vice-presidente da Câmara disse que “acho isso tudo uma vergonha. Ricardo deveria tratar as coisas com seriedade, com respeito, aguardar mais um pouco para que Boqueirão tomasse um volume de água maior, para que a gente pudesse discutir essa questão do final do racionamento. Assim, quando Boqueirão passasse a ter um nível seguro, que saísse do volume morto e que tenha um nível em quantidade segura e suficiente, e que a água que entre seja em quantidade necessária de entrada no açude, com segurança e ampliada, a gente é a favor, mas não com irresponsabilidade”, finaliza.

***Conteúdo de responsabilidade da Assessoria




Fale Conosco

Para que possamos lhe atender melhor por favor entre com as informações abaixo. Obrigado!

Perguntas, dúvidas, críticas ou sugestões? Eu adoraria ajudá-lo!

ENTER para enviar