Nelson diz que situação de Boqueirão é critica e alerta para a necessidade do uso racional da água

nelson_sem_aguaO presidente da Câmara Municipal de Campina Grande, Nelson Gomes Filho (PRP), durante sessão especial realizada pelo Poder Legislativo sobre o uso racional da água nesta quinta-feira, destacou que a situação hídrica do Estado também depende da conscientização da população, não apenas de ações efetivas das autoridades.

Ressaltou que a situação do açude Epitácio Pessoa é crítica e “eu vejo muitas pessoas cobrando um monitoramente das águas da região, mas também é necessário que as pessoas parem de lavar a calçada ou o carro com mangueiras. Além do que, muitas vezes as pessoas demoram muito para reclamar de vazamentos. Isso é um absurdo”.

Apenas 44,5 por cento da capacidade de Boqueirão

O presidente da Câmara Municipal Nelson Gomes Filho demonstrou a sua preocupação com os baixos níveis do açude de Boqueirão, que abastece Campina Grande e mais 16 municípios do chamado Compartimento da Borborema. Ele destaca que conforme levantamento da AESA (Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba), o citado reservatório está com apenas 44,5 por cento de sua capacidade. Ou seja, dos 411.686.287 milhões de metros cúbicos há apenas 183.190.552 de água estocada.

Ele destacou que é preciso mais empenho e urgência do Governo Federal com a Transposição do Rio São Francisco para beneficiar a população hoje tão castigada pela seca, cujo quadro tende a se agravar conforme os prognósticos, com uma estiagem que pode durar até 2015.

O parlamentar é favorável a uma ampla mobilização da sociedade em prol da aceleração do Projeto de Transposição do rio São Francisco, que está praticamente parada. Nelson propôs que a Câmara Municipal de Campina Grande solicite à presidenta da República, ao ministro da Integração Nacional e a outras autoridades maior agilidade no projeto de Transposição do Rio São Francisco, a fim de que situação de seca como a atual vivida pelo Nordeste seja minimizada e maiores prejuízos evitados, num futuro próximo. Se as águas já tivessem chegado à Paraíba, desde 2010, como era a promessa do então Governo Lula os reflexos da seca não seria tão preocupante como são hoje. O requerimento de Nelson foi aprovado por unanimidade pelo Poder Legislativo.

Beneficiará vários Estados

O Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional é um empreendimento do Governo Federal, sob a responsabilidade do Ministério da Integração Nacional. É destinado a assegurar oferta de água, em 2025, a cerca de 12 milhões de habitantes de 390 municípios do Agreste e do Sertão dos estados de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte.

A integração do rio São Francisco às bacias dos rios temporários do Semi-árido será possível com a retirada contínua de 26,4 m³/s de água, o equivalente a apenas 1,42% da vazão garantida pela barragem de Sobradinho (1850 m³/s), sendo que 16,4 m³/s (0,88%) seguirão para o Eixo Norte e 10 m³/s (0,54%) para o Eixo Leste.

Na Paraíba, o Eixo Leste do Projeto São Francisco permitirá o aumento da garantia da oferta de água para os vários municípios da bacia do Paraíba, atendidos pelas adutoras do Congo, do Cariri, Boqueirão e Acauã. O Eixo Norte possibilitará o abastecimento seguro de diversos municípios da bacia do Piranhas, atendidos por sistemas adutores tais como Adutora Coremas / Sabugi e Canal Coremas / Souza.




Fale Conosco

Para que possamos lhe atender melhor por favor entre com as informações abaixo. Obrigado!

Perguntas, dúvidas, críticas ou sugestões? Eu adoraria ajudá-lo!

ENTER para enviar